Desenvolvido por Ricardo Ventura
ricardo.ventura777@hotmail.com
Efeitos da Música Rock, Funky, Heavy Metal, Lambadas, e Ritmos Hipnóticos
Muitos reconhecem o dano psicológico causado aos jovens pelo sexo explícito e a violência nas letras das músicas rock, funky, heavy metal, e outros ritmos hipnóticos e nos vídeos clipes. Entretanto, as letras são apenas a ponta do iceberg. A batida destes ritmos pode ser ainda mais prejudicial, de acordo com estudos científicos recentes.

Estes tipos de música causam:

Perda auditiva permanente;
Hipertensão;
Fraqueza muscular;
Mau funcionamento das glândulas e dos centros de energia do corpo
histeria e outros problemas psicológicos que algumas vezes chegam a levar ao suicídio;

Vício pela própria música e pelas drogas;
Perda de rendimento na escola, hiperatividade, e agitação nos jovens;
Perda de rendimento no trabalho, na eficiência, na capacidade de tomar decisões, aumentando a incidência de erros, bem como a ansiedade no trabalho.

Estudos científicos demonstram que a música rock tocada a todo volume é prejudicial às células sensórias dos ouvidos. Um estudo mostrou que 41 de um total de 43 músicos de rock pauleira e outros ritmos frenéticos sofriam de perda auditiva permanente. Estas músicas não prejudicam apenas a audição, como o corpo inteiro.

Será puramente ao acaso - levando em consideração as diferenças no estilo de vida - que os músicos de rock tenham vidas bem mais curtas do que a média das pessoas, enquanto maestros de música clássica, em geral, desfrutam de vidas excepcionalmente longas?

Uma pesquisa realizada pelo Dr. John Diamond, M.D., demonstrou que a música rock causa hipertensão, fraqueza muscular, e geralmente baixos níveis de energia. O Dr. Diamond sente que isto se deve à batida "anapéstica" peculiar ao rock. O "de-da-Da" da batida do rock é antagônico ao pulso arterial natural. A batida anapéstica para ao final de cada compasso. É como se a música parasse para ter que recomeçar outra vez. O ouvinte subconscientemente, pára, ao final de cada compasso. Isto pode produzir tensão.

A exposição à música rock similares, pode causar "switching" (troca, permuta) no cérebro, isto é, um desequilíbrio nos hemisférios cerebrais, deixando o indivíduo incapaz de reconhecer o que é prejudicial, e levando-o a escolher aquilo que é prejudicial, ao invés daquilo que é saudável.

John Phillips dos Mamas and Papas admitiu que "ao controlar cuidadosamente a seqüência de ritmos", qualquer cantor de música popular pode criar uma histeria na audiência. Sabe-se que eles instigaram um tumulto em Phoenix para testar a sua teoria. Muitos participantes de concertos de rock ficam frenéticos, hostis, descontrolados, irreconhecíveis, histéricos, e "possessos".

O roqueiro de heavy metal, Ozzy Osbourne foi processado pelos pais de um jovem suicida que se matou depois de escutar por várias horas os álbuns de Osbourne, dentre eles "Suicide Solution" [O Suicídio é a Solução]. O jovem ainda estava usando os seus audífonos estéreos quando seu corpo foi encontrado.

A música rock e popular dissonante pode causar hipnose coletiva. Na hipnose fica-se mais suscetível a estímulos subliminais. Pesquisadores descobriram que alguns discos de rock usam "backward masking", isto é, quando o disco é tocado de trás para a frente, ouvem-se mensagens subliminais, tais como: "Comece a fumar maconha", "Eis-me aqui meu doce Satanás", "Vivo por Satanás", e "Faça de mim um homem morto".

De acordo com o Dr. Diamond, o rendimento acadêmico de muitas crianças na escola, melhorou consideravelmente, quando deixaram de escutar música rock ou dissonante enquanto estudavam. Numa fábrica de equipamentos eletrônicos sofisticados, onde a concentração e a clareza de pensamentos são essenciais, a produtividade aumentou, quando substituíram a música rock por temas clássicos.


O QUE VOCÊ PODE FAZER A RESPEITO DA MÚSICA ROCK E DA POLUIÇÃO SONORA?

Ajudar a educar os pais, os jovens, e os líderes do governo e da indústria, a respeito dos efeitos nocivos da música rock.

Atuar junto ao município, estado, e governo federal, para que haja uma legislação regulando os níveis sonoros de decibéis, impedindo também que sejam tocadas em locais públicos músicas nocivas como o rock, e que contenham "backward masking" e mensagens subliminais.

Encorajar alternativas à música rock e demais músicas dissonantes e depreciativas, isto é, apoiando a atividade de compositores e cantores de música erudita e de boa qualidade.

Contatar estações de rádio e TV, e salas de concerto locais, para fazerem uma programação que contenha música de boa qualidade.
Encorajar e apoiar pesquisas a respeito dos efeitos do som, especialmente do rock, no corpo humano, e também meios que eliminem a poluição sonora e o vício pela música rock.

Trabalhar junto a grupos que promovam boa música.

Esta mensagem pode ser livremente enviada, copiada, afixada, e distribuída em escolas e universidades, bem como entregue a gerentes de restaurantes, teatros, cinemas, supermercados, ou quaisquer outros estabelecimentos públicos. Sem deixar de mencionar a família, os amigos e conhecidos e distribuídas, via internet, aos governantes e políticos em geral.


Fonte :http://www.unindocoracoes.com.br

Solange Christtine Ventura
www.curaeascensao.com.br