Desenvolvido por Ricardo Ventura
ricardo.ventura777@hotmail.com
Cloreto de Magnésio - Vale a Pena Conhecer!
O cloreto de magnésio é uma descoberta fulminante da década de 1980, pouco difundida. Não é medicamento, mas sim alimento essencial para a vida, a ponto de animais novos, bem tratados mas sem magnésio, morrerem todos em um mês. O magnésio controla 18 minerais e tem umas 300 funções. Padre Beno José Schorr - Prof. de física, química e biologia - Colégio Catarinense.

Atenção: O cloreto de magnésio para uso humano, tem que ser do tipo P.A. (Puro para Análise) e sua cor deve ser bem branca.

É normal empedrar, mas isto não altera seu teor de qualidade.

O Magnésio Mágico
O magnésio é uma descoberta fulminante da década de 1980, pouco difundida. Não é remédio, mas sim alimento essencial para a vida, a ponto de animais novos, bem tratados mas sem magnésio, morrerem todos em um mês. O magnésio controla 18 minerais e tem umas 300 funções.

1. O Segredo do Magnésio É indispensável conhecê-lo. Todos nós nascemos de uma única célula, que se multiplica, até a idade adulta, em cerca de 100 trilhões de células variadas, que nos dão calor e energia. Enfileiradas, dariam uma volta ao mundo, ou mais.

- CÉLULA SADIA - Cada célula tem no seu interior um pequeno núcleo, tido como sede da vida, com toda a programação da primeira célula. O núcleo consiste de enorme conjunto de átomos, em forma de rede espiralada, onde aqui e ali há um átomo de magnésio, tipo -borrachinha- - este é o segredo! Tais células são flexíveis e ativas, como o corpo todo. Na formação das novas células, o magnésio escolhe as substâncias programadas, todas de origem animal, como único material de construção, ao menos até os 6 anos de idade, para dar acabamento ao cérebro e evitar deficiência mental. Assim, cada célula sabe e segue o programa da primeira célula, sem faltar um cabelo sequer. Nos adultos, a célula-mãe se desfaz, para evitar o -gigantismo-. O magnésio constrói as células.

- CÉLULA DOENTE - Se faltar magnésio na formação das células, invade seu lugar o cálcio, tipo -pedrinha-. Tais células vão perdendo flexibilidade e atividade, e todo o corpo endurece, envelhece e se cansa à toa. Aí, o -diabo está solto-... O cálcio mata pelo menos 80% por doenças como calcificações, artrites, ciáticas incuráveis, câncer, infartos - umas 6 mil doenças. Umas são de doer e gemer. Outras são de morrer, no duro! Mas agora temos...

- A MAGIA - Basta devolver o magnésio que falta, e ele vai direto aos núcleos chutar fora as pedrinhas, o cálcio invasor, e retoma seu lugar como -borrachinha-. Assim, o corpo endurecido volta aos poucos a ser flexível e ativo, pois o magnésio é o restaurador das células. O magnésio, com seus 18 minerais ajudantes, vai patrulhando até os últimos becos do corpo, limpa as arteriazinhas... O magnésio chega lá!

-REFINADOS - Então o bom Deus esqueceu do magnésio nos alimentos- Não! Ele entregou o domínio da natureza perfeita ao homem racional. A culpa é do próprio homem, obcecado por paixões de ganância, gula, vaidade... O industrial visa a lucros e refina, retira o -sujinho- dos grãos de arroz e do trigo, o melaço escuro do açúcar. Do sal marinho, rejeita o magnésio, que umedece, o iodo, e mais 20 sais salubérrimos. Gaba-se do -progresso-, dos -alimentos brancos-... Desses 4 alimentos básicos, os mais consumidos no mundo, vende a bom preço esses restinhos -sujos- ao gado, para a sua saúde. Logo, sabe o que faz! No entanto, reserva para si o restante -bagaço branco- e, doente, corre à farmácia, pagando o cêntuplo por drogas ineficazes. Assim, o homem -fatura- nada menos que 50% das mortes por câncer...
O que fazer? Compre a farinha de trigo cinzenta e não a branca, que é puro bagaço, e junte ainda farelo de arroz ou trigo. Arroz, só descasque e não tire o farelo dourado, os sais da saúde. Do açúcar, apenas evapore a água, pois o açúcar amarelo faz a saúde dos nordestinos e a nossa. O sal saudável é o que se dá ao gado. Afine-o com uma garrafa sobre a mesa. Tem uns 10 minerais - é ótimo!

- ESTRESSE - É o esgotamento perigoso, por falta de magnésio nos alimentos industrializados. Isso provoca em gente ativa um ciclo perigoso, assim: A falta de magnésio faz das ocupações preocupações, ânsia que gera o começo do estresse, que consome magnésio. Recomeça o ciclo, sem parar: Menos magnésio dá mais ânsia, mais estresse e menos magnésio, mais ânsia... até ocorrer o colapso, às vezes fatal. Cura certa: Siga a RECEITA GERAL (item 8) por uns meses, até sentir-se forte. Siga então o item 13, até o fim.

- PREPARO DA SOLUÇÃO - Tenha à mão CLORETO DE MAGNÉSIO P.A. e uns copinhos de plástico para cafezinho. Encha 1 (um) copinho com esse sal, socando levemente, e o dissolva em 1 (um) litro d’água. Somente isso! Ou dissolva 100g de magnésio em 3 litros. A solução nunca estraga. Uma dose é um copinho bem cheio da solução. Ponha uma dose num copo comum e faça uma marca com adesivo. Daí para cima, ponha água à vontade, para fazer menos amargo. Se em jejum for laxante, deixe para tomar depois do café.

- O MEU CASO de quase paralítico, como referência. Aos 55 anos de idade, sentia estranho peso na perna direita. Aos 65 anos, virou dor intratável. Aos 69 anos formigava toda a perna ao ficar em pé (sentado, não). Então atinei ser bico de papagaio, já visível aos 55 anos, que calcificara e apertava o nervo que descia à perna. Fugia da dor sentando e, na cama, enrolado como um gato. Ouvi de um especialista: -Isso já não é um bico, mas sim um bando de papagaios! Todas as vértebras estão calcificadas, curvando a espinha. Não tem cura?. Angustiado, apelei instantaneamente ao bom Deus para dar um -jeitinho-... Pouco depois, o padre Suarez mostrou-me no livro do padre Puig o uso do magnésio...

- MINHA CURA - Comecei com uma dose diária, durante uma semana. Tudo bem! Tomei então duas doses, sempre sentado ou enrolado até o 20º dia, quando acordei tarde e - vejam só! - estirado, reto, sem dor. Caminhar sem dor, somente no 30º dia, quando me levantei como que a sonhar de felicidade, pois nada mais me doía. Pequeno passeio, contudo, me fez voltar o peso de outrora, mas que em poucos dias também sumiu. Assim, a perna sofrida estava até melhor que a outra...

- MINHA CURA: (Padre Beno) Estando quase paralítico, 10 anos antes de começar a cura, tendo 61 anos, sentia pontadas agudas na região lombar - um bico de papagaio, incurável segundo o médico. Mas, reparei ser reumatismo, que curei com KETACIL, esquecendo, então, o bico de papagaio, que já, antes, dava um peso crescente na barriga da perna direita. Havia 5 anos o peso virou dor, que, com todos os tratamentos, só aumentava. Depois de 2 anos, afinal, atinei com a causa: mal levantando-me da cama, sentia um formigar descer pela perna até aos pés. Ao abaixar-me, o formigamento cessava, erguia-me e voltava. Repeti as duas posições. Só podia ser aquele desgraçado bico de papagaio, que apertava o nervo ciático na terceira vértebra, e quando em pé e curvado lhe dava folga. Fiz então meus trabalhos o mais possível sentado. Havia anos que fazia tudo sentado, menos a missa - um tormento. E adiava a viagem à Ilha de Marajó, onde devia completar a rede de rádio-telefonia de 48 estações em 6 estados. Depois de meio ano, viajei, esperando melhoras naquele eterno verão. Mas piorou de vez. Rezava a missa sentado, acompanhado pelo povo: orientava meus ajudantes a montar os mastros e esticar as antenas por cima dos telhados. Sem tardar, voltei a Florianópolis para ir a um especialista, com novas radiografias. Agora já era um bando de bicos de papagaios, com seus bicos calcificados, duros, em grau avançado... Nada é possível fazer. As dez aplicações de ondas curtas e distensões da coluna não detiveram a dor, a ponto de nem mais deitado poder dormir. Ficava sentado até quase cair da cadeira de sono, quando atinei que podia dormir enrolado na cama como um gato. Deu certo, e só acordava ao endireitar-me. Faltava pouco, para nem enrolado ou sentado fugir a dor. E então? Assim desenganado, apelei ao bom Deus. Está vendo a Tua criatura? Não lhe custa dar um jeitinho... Providencialmente, ainda fui ao encontro dos Jesuítas cientistas em Porto Alegre, e o Padre Suarez me disse ser fácil a cura, com CLORETO DE MAGNÉSIO, e me mostrou escrito no livrinho do Padre Puig, jesuíta espanhol, que o descobriu... e que sua mão estava até dura de tão calcificada, mas com este sal, ficou móvel como uma menina, como também outros parentes seus. E brincando disse: "Com este sal, só vai morrer dando um tiro na cabeça ou por outro acidente". Em Florianópolis, logo comecei a tomar uma dose diária a cada manhã; três dias depois, comecei a tomar uma dose de manhã e outra dose à noite; mesmo assim continuava dormindo enrolado até o 20. Dia, quando acordei estirado na cama, sem dor. Mas caminhar ainda era aquela dor. Aos 30 dias, me levantei todo estranho: Será que estou sonhando?. Nada mais me doía e dei até uma voltinha pela cidade sentindo contudo o peso de 10 anos antes. Aos 40 dias, caminhei o dia inteiro, com pequeno peso. Aos 3 meses sentia crescer a flexibilidade. Dez meses já passaram e me dobro quase como uma cobra. O magnésio arranca o cálcio dos lugares indevidos e o fixa solidamente nos ossos. Ainda mais: a pulsação seguidamente abaixa de 40, já pensando em marca passo, normalizou. O sistema nervoso ficou motorialmente calmo, maior lucidez, sangue descalcificado e fluido. As frequentes pontadas do fígado sumiram, a próstata, a ser operada na primeira folga já não me incomodava muito. E outros efeitos, a ponto de várias pessoas me perguntarem: "Ö que está acontecendo contigo?... Mais jovem?". É isso mesmo, voltou-me a alegria de viver. Por isso, me vejo obrigado a repartir o "jeitinho" que o bom Deus me deu. Centenas se curaram em Santa Catarina, depois de anos de sofrimento de males da coluna, artrose, etc... e mandam também cópias a outros desenganados.

-EFEITOS SIMULTÂNEOS - Além da ciática, curou logo o coração. Sumiram as pontadas do fígado. A prostatite aguda em um ano pouco incomodava. Três anos depois, nem sinal dela. Descalcificou-se a espinha, e em 3 anos fiquei flexível como cobra. A lucidez voltou e o cansaço se foi. Curei também a erisipela, quando voltou, tomando 3 doses durante 3 meses e matando, por certo, o último micróbio escondido nas varizes. E fiquei reto! Daí a regra: -Tome o magnésio para uma doença só e as outras curam junto-. Voltou-me, enfim, a alegria de viver. E o que darei ao bom Deus pelo jeitinho grátis- De graça o difundirei!

E mais: Em 1993, descobri a cura da psoríase, que escama a pele e é incurável desde a Antiguidade. Já no desespero, tive uma luz: -O magnésio é o construtor da célula-. Mantive então úmida com magnésio concentrado a pele afetada e nova pele nasceu. Somente isso!

- CONTRA-INDICAÇÕES - Duas, graves: Insuficiência dos rins e paratireóide (garganta). Tente devagar, com meia dose diária durante uma semana, duas meias-doses na outra semana, três meias-doses na 3ª semana, ao levantar, ao meio dia e ao deitar. Tudo bem? Então siga para o item 8, RECEITA GERAL.

Mas se piorar, diminua a dose ou vá ao médico. O uso desta receita fica a seu critério, ou a critério de um médico amigo.

- RECEITA GERAL - Ver as contra-indicações no item 7. Se não houver, tome uma dose diária durante uma semana. Tudo bem? Então tome uma dose de manhã e uma dose à noite, na segunda semana. Na fase aguda, uma dose de manhã, ao meio dia e à noite. Passada a fase aguda, volte a uma dose de manhã e outra à noite, durante meio ano ou mais, até sentir que está bem e com boa saúde. Para não recair, siga toda a vida o item 13.

Com 3 doses diárias, a pressão do sangue pode subir. Se for demais, diminua o sal de cozinha, tome remédio, ou volte a tomar duas doses. Mas não largue o magnésio, sua garantia.

- CALCIFICAÇÃO - Que somente o magnésio cura. É o mais comum, uma série de doenças até mortais: coronárias entupidas, necrose (sem vida), infarto, pontes de safena, coágulos, derrame, trombose, arritmia, arteriosclerose (sclero=duro), válvulas duras, incrustações tipo cera amarela, colesterol, coluna, ciática... O magnésio tira o cálcio patogênico e o fixa nos ossos, que nunca ataca. E cura osteoporose. Ver item 8.

-ARTRITE E ARTROSE, que só o magnésio cura. Artrite, reumatismo, gota, inflamam, com dor, as articulações nos dedos e no corpo todo. E a artrose as degenera por acúmulo de ácido úrico, que os rins já não eliminam, por falta de magnésio. Cuidado: Ver item 7, e depois o item 8.

- CÂNCER, que somente o magnésio evita, e infartos. As células de doentes podem estar incompletas, por falta de substâncias (refinados, depauperados) ou presença de partículas estranhas (fumo, tóxicos, radiações, metais pesados). Essas células anormais, presentes em todas as pessoas, somente se tornam perigosas ao se agruparem, causando lesões, o pré-câncer -- que o magnésio cura. Ao formar tumor, câncer, o magnésio não cura mais (mas o elixir F. Kotelak2 já curou muito câncer e diabetes). Nódulos no seio e freqüente câncer em parentes: siga logo a RECEITA GERAL (item 8). Mas câncer da pele, que dá chagas incuráveis, o magnésio cura em um ano e tanto. Siga o item 8. Assim você se salva do câncer, de infartos, de quase tudo, simultaneamente.

Nós todos o temos, em grau moderado. Consiste em células mal formadas por falta de alguma substância (refinados) ou presença de partículas tóxicas. Infelizmente, todo processo canceroso é lento, não causa nenhuma dor de alerta até aparecer o tumor, que segrega tóxicos (vírus muito variados) que invadem as células sadias em ramificações (semelhante a um caranguejo) que quer dizer: Câncer em latim. Aí o magnésio pode só freiar um pouco... curar não.

Há porém leves indícios: se já houver nódulo debaixo da pele do seio, aí o magnésio é o melhor preventivo, para o câncer não progredir e formar tumor. Além dos alimentos cancerígenos que devemos evitar, o mais importante é guardar o equilíbrio mineral, tomando o Cloreto de Magnésio, como doses de prevenção. Basta o corpo estar devidamente mineralizado pra se ver livre de todas as doenças.

- INFECÇÕES - O magnésio reforça as defesas naturais do organismo: duplica os glóbulos brancos, soldados do sangue que matam o triplo de micróbios. O magnésio é ótimo contra furúnculos, inflamações. Cura erisipela (veja item 6). Em manchas da pele, psoríase, alergias, acne, tóxicos, feridas - ponha um paninho úmido com magnésio, ou passe com a mão. Para psoríase, solução concentrada (ver item 6).

- CIRURGIAS - Na véspera, tome de 3 a 5 doses espaçadas. Cura rápido, sem infecção e boa disposição. Saúde para toda a vida.

-DOSAGEM - O adulto precisa de magnésio metálico, o equivalente a 4 ou 5 doses por dia. Como nossos alimentos refinados não o fornecem, é preciso completar o que falta. Crianças e adultos até 40 anos - Uma colher para cada 10 kg de peso, se estiver doente ou crescendo muito. Se não estiver doente nem crescendo, uma colher para cada 20 kg.
Adultos, de 40 anos em diante - Um fato novo: aos 40 anos (alguns aos 35 ou aos 30), o corpo é invadido pelo cálcio, que reprime sempre mais o magnésio. Assim, devemos ir aumentando o magnésio para controlar o cálcio e evitar as doenças da velhice, continuando flexíveis e jovens. Aqui vão as doses, por idade:

Dos 40 aos 55 anos, tomar 2 doses espaçadas por dia.
Dos 55 aos 70 anos, tomar 3 doses espaçadas por dia.
Dos 70 anos ao fim da vida, 4 doses espaçadas ao dia.

Assim, complementam-se os alimentos desmineralizados e o corpo se mantém flexível, sem cansar, sangue puríssimo, coração e outros órgãos sadios, sem infartos, derrames, sem morte súbita, sem câncer... Em vez do magnésio, você pode comprar sacos de farelo de arroz, com o qual faz bolinhos, mistura no pão ou nas comidas. Comer uva, com bagaço, mineralizado, sem esmagá-lo.

A cozinheira deve distribuir nas comidas uma dose de magnésio para cada 3 pessoas, uma vez por dia. Assim fazem na Finlândia, e toda a família vive saudável. Os maiores de 40 anos devem completar suas cotas, conforme recomendação acima. O magnésio é alimento inocente: o intestino somente absorve o necessário.

Ricos em magnésio e sais são: Farelos, melaço, melado, mel, açúcar amarelo em rapaduras com amendoim, todas as nozes, amêndoas. Também golinhos de água do mar, no banho ou nas comidas (só golinhos), que contém 30 sais salubérrimos, os mesmos que levam as tartarugas até os 400 anos de idade...

Um remédio surpreendente, responsável pelo equilíbrio geral.

“J. Shorr é padre, Professor de Física,
Química e Biologia do Colégio Catarinense / Sta. Catarina.

O nome do Padre é Beno Schor, era um dos Jesuítas do Colégio Catarinense em Florianópolis, lecionava Química, Física e Biologia. Pesquisando sobre sua doença, descobriu que todos os seus males era falta do cloreto de magnésio.

Se você procurar no Google (cloreto de magnésio) irá encontrar relatos de sua história.
Conheci o Padre Schor, ele curou-se com o cloreto de magnésio, viveu anos, estava lendo este site e como este mundo é muito pequeno, este Padre foi capelão do hospital que eu trabalho, ele morreu na segunda quinzena de maio de 2005, este ano, eu o havia encontrado na cidade andando sozinho no centro no meio de tanta gente e fiquei admirada, aos 93 anos, ele andava alegre e distraído, uma semana depois soube que morreu, seu coração parou.

Ele apagou como uma vela ao vento, pois ajudou tanta gente, divulgando sua cura pelo cloreto de magnésio, e Deus foi também caridoso com ele.

Um amigo do Padre Schor.”
Quem sofre de bico de papagaio, nervo ciático, coluna e calcificação podem curar-se de forma perfeita, indolor, fácil e barata. E tem, ao mesmo tempo, a cura de todas as doenças causadas pela carência de cloreto de magnésio no passado, até a artrose.

Outros efeitos: O cloreto de magnésio arranca o cálcio dos lugares indevidos e o fixa
solidamente nos ossos. Ainda mais: minha pulsação que sempre estava abaixo de 40 - eu já pensava em marca passo - normalizou-se.

O sistema nervoso ficou motorialmente calmo, ganhei maior lucidez, meu sangue estava descalcificado e fluido. As freqüentes pontadas do fígado desapareceram.
A próstata, que eu deveria operar assim que tivesse uma folga nos trabalhos, já não me incomoda muito. Houve ainda outros efeitos, a ponto de várias pessoas me perguntarem: "O que está acontecendo com você?" Está mais jovem!                  
"É isso mesmo". Voltou-me a alegria de viver.
Por isso, me vejo na obrigação de repartir o "jeitinho" que o bom Deus me deu.
Centenas se curaram em Santa Catarina depois de anos de sofrimento com males da coluna, artrose, etc.

Importância do cloreto de magnésio: O cloreto de magnésio produz o equilíbrio mineral, anima os órgãos em suas funções (catalisadoras), como os rins, para eliminar o ácido úrico nas artroses; descalcifica até as finas membranas nas articulações e as escleroses calcificadas, evitando enfartes; purificando o sangue vitaliza o cérebro, desenvolve ou conserva a juventude até alta idade.

O cloreto de magnésio é, de todos os sais, o menos dispensável, como
o professor na aula. Após os 40 anos, o organismo absorve sempre menos cloreto de magnésio, produzindo velhice e doenças.

Com o uso do cloreto de magnésio há tendência à eliminação das doenças e uma diminuição significativa do desgaste natural.

Só não se deixe levar pelo comodismo, até que uma doença se instale; porque viver com dores e mal estar se é possível gozar de uma saúde radiante?

O cloreto de magnésio não é remédio, mas alimento. E não tem contra-indicação.
É compatível com qualquer medicamento simultâneo.

O adulto precisaria obter dos alimentos o equivalente a três doses; se não conseguir, pode aumentar um pouco a dose diária para não adoecer; dificilmente se ultrapassa o limite, pois as doses indicadas para pessoas de 40 a 100 anos são mínimas.

O cloreto de magnésio põe em ordem todo o corpo e é indicado para homens e mulheres.
No caso das mulheres ele ajuda a prevenir osteoporose.

Recomendações: Quem sofre de bico de papagaio, obesidade, nervo ciático, coluna,
arteriosclerose, rins, calcificação, surdez por calcificação, deve iniciar o tratamento com uma dose pela manhã, uma dose à tarde, uma dose à noite. Quando curado, deve-se tomar o cloreto de magnésio como preventivo, isto é, conforme a idade.

Artrose: O ácido úrico se deposita nas articulações do corpo, em particular nos dedos, que até incham. Isso resulta de uma falha no funcionamento dos rins, justamente por falta do cloreto de magnésio. Tenha cautela: se um rim talvez já esteja se deteriorando, tome apenas uma dose pela manhã. Se em 20 dias não sentir melhoras e não cessar a anormalidade, tome uma dose pela manhã e uma dose à noite. Depois de curado, continue com as doses normais, como preventivo.

Próstata: Vou citar um exemplo. Um homem muito idoso já não conseguia urinar.
Algum tempo antes da operação, lhe deram cloreto de magnésio como preparação, e ele começou a melhorar. Depois de uma semana sentia-se bem, e a operação foi cancelada.

Há casos em que a próstata regride, às vezes, ao normal, tomando-se 2 doses pela manhã, duas doses à tarde, duas doses à noite. Ao melhorar, tome a dose preventiva.
Outros problemas: como reumatismo, rigidez muscular, impotência sexual, câimbras, tremores, frigidez, artérias duras, falta de atividade cerebral, sistema nervoso: uma dose pela manhã, uma dose à tarde, uma dose à noite. Sentindo-se melhor, passar para a dose preventiva.

O Magnésio não é nada menos que um mineral milagroso no seu efeito sobre a cicatrização de uma vasta gama de doenças, bem como na sua capacidade de rejuvenescer e evitar o envelhecimento do corpo. Sabemos que é fundamentais para muitas reações enzimáticas, em especial no que diz respeito às celulares de produção de energia, para a saúde do cérebro e o sistema nervoso, e também para os dentes e ossos saudáveis. No entanto, pode constituir uma surpresa que, sob a forma de cloreto o magnésio também é um impressionante lutador contra infecção.

O primeiro proeminente pesquisador a investigar e a promover os efeitos antibióticos do magnésio foi um cirurgião francês, Professor Pierre Delbet MD. Em 1915 ele foi à procura de uma solução para limpar feridas dos soldados, porque ele descobriu que os anti-sépticos tradicionalmente utilizados nos tecidos danificados incentivavam as infecções em vez de as prevenir. Em todos os seus testes a solução de cloreto de magnésio foi de longe a melhor. Não somente ele era inofensivo para os tecidos, mas também aumentava enormemente a atividade dos leucócitos e a fagocitose, a destruição de micróbios.

Mais tarde o Prof Delbet também realizou experimentos com aplicações internas de cloreto de magnésio e descobriu ser um poderoso imuno-estimulante. Em suas experiências a fagocitose aumentou em até 333%. Isto significa que após ingestão do cloreto de magnésio o mesmo número de glóbulos brancos destruía até três vezes mais micróbios do que antes.

Gradualmente o Prof Delbet descobriu que o cloreto de magnésio era benéfico para uma ampla gama de doenças. Estes incluíram doenças do aparelho digestivo, tais como colite e problemas na vesícula, doença de Parkinson, tremores e cãibras musculares, acne, eczema, psoríase, verrugas e prurido cutâneo, impotência, hipertrofia prostática, cerebral e problemas circulatórios, asma, febre, urticária e reações anafiláticas. Cabelo e unhas ficaram mais fortes e saudáveis e doentes tinham mais energia.

Prof. Delbet também descobriu um efeito preventivo muito bom sobre o câncer e em condições pré-cancerosas, tais como leucoplasia, hiperqueratose e mastite crônica. Estudos epidemiológicos confirmou que as regiões ricas em magnésio no solo tinham menos câncer do que aqueles com baixos níveis magnésio.

Outro médico francês, A. Neveu, curou vários doentes com difteria utilizando o Cloreto de Magnésio em dois dias. Ele também publicou 15 casos de poliomielite que foram curados dentro de dias se o tratamento foi iniciado imediatamente, ou dentro de meses se paralisia já tivesse progredido. Neveu também descobriu que o cloreto de magnésio era eficaz com asma, bronquite, pneumonia e enfisema; faringite, amidalite, rouquidão, frio comum, gripe, coqueluche, sarampo, rubéola, caxumba, escarlatina; envenenamento, gastrenterite, furúnculos, abscessos, feridas infectadas e osteomielite.

Em anos mais recentes o Dr. Vergini e outros já confirmaram estes resultados já publicados anteriormente e têm mais doenças adicionadas à lista de utilizações bem sucedidas: asma aguda, choque, tétano, herpes zoster, conjuntivite aguda e crônica, neurite óptica, as doenças reumáticas, muitas doenças alérgicas, Síndrome de cansaço crônico e efeitos benéficos no tratamento do câncer. Em todos estes casos, o cloreto de magnésio tinha sido utilizado e deram resultados muito melhores do que outros compostos magnésio.

CIRCULAÇÃO: angina, arteriosclerose, pressão arterial e colesterol elevado, infartos cardíacos, hipertensão, acidentes vasculares cerebrais, taquicardia (pulso rápido), trombose.

SISTEMA DIGESTIVO: cólicas, constipação, diarréia crônica, mal absorção, pancreatite (inflamação do pâncreas).

SISTEMA NERVOSO: apatia, confusão, depressão, desorientação, epilepsia, alucinações, irritabilidade, doença mental, esclerose múltipla, nervosismo, neurite, paranóia, doença de Parkinson, falta de memória, senilidade.

GERAL: alcoolismo, artrite, ossos quebrados, calcificação em qualquer órgão, o cancro, a Síndrome de Fadiga Crônica, diabetes, dores de cabeça, infecções e inflamações, cirrose hepática, lúpus eritematoso, enxaquecas, a velhice, os problemas da próstata, raquitismo, rigidez -- Mental e física, pele enrugada e dura, rigidez, formação de pedra na vesícula ou rins, tiróide, faringite, amigdalite, rouquidão, resfriado comum, gripe, asma, bronquite, pneumonia, broncoconstrição, enfisema pulmonar, "as doenças das crianças" (tosse, convulsão, sarampo, rubéola, cachumba, febre escarlate ...) , envenenamentos, gastroenterite, furúnculos, abscessos, erisipela, feridas.

Visite também: <http://www.cloretodemagnesio.com/>

O Cloreto de Magnésio é, sobretudo importante para eliminar calcificações da Coluna como Bico de Papagaio, Ciática, Esclerose, Artrite, Artrose, importante para evitar o Câncer, evita <http://pt.shvoong.com/tags/evita/> Enfartes e Envelhecimento, combate o Colesterol, Reumatismo, a Gota, porque ajuda os Rins a eliminar o Ácido Úrico. O Magnésio consegue desmanchar essas Calcificações, basta usar com perseverança. Além disso, acalma o Sistema Nervoso e volta a Lucidez Cerebral. O Magnésio assimila o cálcio cego e o Fósforo fugidio eliminando os excessos. Fixa o Cálcio nos Ossos, depois de retirá-lo das Cartilagens, Membranas e Artérias onde se assentou erradamente.

É bom contra Osteoporose. Assim as Cartilagens ficam mais macias sem Pinçar Nervos (Ciática), As Membranas escorregadias sem dores nas articulações a não ser que o Osso já encoste com Osso. Limpa as Artérias duras (Esclerose) de suas incrustações deixando o sangue puro e fluido para abrir as veias finas como cabelo, que voltam a irrigar o Cérebro, Coração, Fígado. O Coração Rejuvenesce e evita a Necrose (Sem Vida), Pontes de Safena, Descalcifica as Válvulas. Dá Novo Vigor e Flexibilidade. Evita a Fadiga e Infecções. Quando curado , tomar Cloreto de magnésio como preventivo, isto é, conforme a idade. ARTROSE: o ácido úrico se deposita nas articulações do corpo, visivelmente nos dedos que incham. É porque os rins estão falhando, por falta de magnésio.

Tenha cautela, pois um rim talvez esteja deteriorado:
1 dose de manhã. Se em 20 dias não sentir melhora e não reparar a anormalidade, tomar 1 dose pela manhã e 1 dose à noite. Depois de curado, continuar as doses preventivas.


DOSAGEM E PREPARO:
A dose a tomar diariamente varia conforme o caso e a idade. Para preparar a solução de Cloreto de Magnésio de modo geral se faz assim:  dissolver o conteúdo do sache (33 g) em 1 litro de água filtrada. Guardar a solução em uma jarra de vidro sob refrigeração.   
                                                                                                                                                 Toma-se um copinho desses de cafezinho ou dois dedos de altura dentro de um copo comum em jejum ou entre as refeições. Depois de uma semana, se tudo está indo bem, passa-se a tomar também uma dose dessas à noite. As crianças novas também podem tomar uma colher das de sopa, da solução por dia. Depois dos 10 anos mais ou menos, já podem tomar metade da dose do adulto.

Mulheres grávidas também podem tomar pelo menos uma dose normal por dia. Isso favorece parto suave e bebê sadio.

Depois dos quarenta anos, cada pessoa deveria usar um pouco. Depois dos setenta anos é importante usar até três doses da solução por dia, pois é na velhice que este produto opera maravilhas.
Raramente ocorrerá excesso de cloreto de magnésio no organismo, pois o que o corpo não utiliza é eliminado na urina. É diferente do cálcio que em excesso fica no organismo e vai para partes moles como cartilagens e pele.

Se a pressão subir um pouco é recomendado tomar alguma coisa para baixar a pressão, como suco puro de limão, mais não deixar de tomar o Cloreto de Magnésio, porque logo a pressão normalizará.                                                                                                                         

a) de 40 aos 55 anos - ½ dose diária.
b) de 55 aos 70 anos - 1 dose pela manhã.
c) de 70 aos 100 anos - 1 dose pela manhã e 1 dose à noite.
Atenção: para as pessoas da cidade com alimentos de baixa qualidade (refinados e enlatados), um pouco mais; e para as pessoas do campo, pouco menos.

Onde encontrar
:
Em farmácias de produtos naturais ou mesmo nas alopáticas. Nunca os comuns de farmácia, pois fazem mal à saúde pelos 3 a 5 por cento de impurezas que contêm. Recomendo as lojas que fornecem material para laboratórios. [No seu -Artigo Mirim- nº 14, de 1994, Pe. Beno dá uma lista de 60 empresas em 15 cidades, de Rio Grande-RS até Rio de Janeiro-RJ
O magnésio certo deve ser o CLORETO DE MAGNÉSIO P.A. (P.A. = Para Análise). [Na época do padre Beno, as marcas que ele recomendava eram: Reagen, Isofar, Caal, Vetec, Synth, Eleibra, Cinética e Merck.]

Marca Synth (recomendadas pelo Pe. Beno), vendem por R$ 16,90 e vem na embalagem do fornecedor (Labsynth Produtos para Laboratório Ltda - Av. Dr. Ulysses Guimarães, 3857 - Vila Mary, Diadema - SP).

A fórmula é igual à que aparece nas embalagens dos magnésios de farmácia (MgCl2.6H2O), mas este da Synth traz também o peso molecular (203,30) e as especificações, inclusive teor máximo de impurezas. É possível que o magnésio embalado pela Delaware seja tão bom quanto o fornecido pela Labsynth. Para quem não tiver um fornecedor na sua cidade, uma alternativa talvez sejam as farmácias de manipulação, pois elas precisam trabalhar com o material mais puro possível.

Fonte: [Adaptado do "Artigo Mirim" - 14ª edição, 1994]
Padre Beno José Schorr 1 Prof. de física, química e biologia Colégio Catarinense