Desenvolvido por Ricardo Ventura
ricardo.ventura777@hotmail.com
Seu corpo clama por água
Esclerose múltipla e desidratação

Em um debate transmitido por uma rádio, nos EUA, o Dr. Fereydoon Batmanghelidj, autor dos livros, e John Kuna, um doente de esclerose múltipla, trocaram idéias sobre o papel da desidratação na doença.

John conta que, inicialmente, em 1983, sentia fraqueza e formigamento na perna, ficou desajeitado e tinha pouca energia. Em 1989, seu corpo ficou dormente do peito aos pés e um exame de Ressonância Magnética determinou um diagnóstico de esclerose múltipla. Algum tempo depois, apareceu um grande inchaço nas pernas que, além de desconfortável e de não ceder, causava-lhe constrangimento.

Um livro do Dr. Batmanghelidj convenceu John a tentar a "dieta da água": 2 litros de água, meia colher de chá de sal marinho e um copo de suco de laranja ou uma banana (por causa do potássio) por dia. Ao beber a água, John deixou de tomar as 6 a 8 xícaras de café com açúcar que normalmente tomava para manter a energia. Durante anos ele havia tomado grandes quantidades de café e álcool - cresceu tomando café. Em uma semana John sentiu melhora em sua disposição; já não tinha mais altos e baixos extremos. Em duas semanas, o inchaço nas pernas melhorou 90%.

Durante o debate, o Dr. Batmanghelidj destacou que a cafeína encontrada no café, nos refrigerantes, no chá-mate e no chá-preto, é um diurético que pode desidratar o corpo. Além disso, a cafeína drena a energia - ela não produz energia, mas tira a energia armazenada. A água, por outro lado, aciona as membranas celulares, produzindo energia. Dois litros de água por dia permitem ao corpo regular naturalmente o seu nível de energia. O álcool também desidrata o corpo, suprimindo a secreção da glândula pituitária (hipófise). Se a desidratação causada por café ou álcool continuar por um período prolongado, pode alterar a estrutura genética e os sintomas ficam profundamente enraizados.

John comentou a ansiedade dos pacientes com esclerose múltipla. A progressão incerta da enfermidade e o seu término, deixam-nos sem coragem de tentar algo novo, que possa piorar o quadro. O Dr. Batmanghelidj assegurou que o receio de espasmos na bexiga pela ingestão de dois litros de água é infundado. O médico também explicou que contrações musculares indicam uma deficiência de sal e, possivelmente, de magnésio. John ficou admirado como o simples regime da água causou tamanha melhora em tão pouco tempo. O Dr. Batmanghelidj destacou que a desidratação causa uma variedade de sintomas - dores por dispepsia, artrite, depressão, pressão alta, asma e alergias - dependendo da pessoa.

Veja o website do Dr. F. Batmanghelidj em
www.watercure.com assim como outros livros e
diversos vídeos (VHS ou DVD) de sua autoria.